• exlibrisbrasil2020

Coleção do Museu Mariano Procópio é referência para projeto literário com a Ex-AldraviLIBRIS


O acervo do Museu Mariano Procópio, mantido pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), foi usado como referência em um projeto literário desenvolvido pela professora Joseani Netto e aplicado na Escola Municipal Anita Soares Dulci, na cidade de Santos Dumont (MG). A proposta da educadora, que é mestre em Letras pela UFJF, foi trabalhar com a escrita poética dos Ex-AldraviLIBRIS, gênero literário que funde os ex-libris (etiquetas ilustradas coladas em um livro para indicar a propriedade do mesmo) e as aldravias (composições poéticas minimalistas).


Joseani conta que a ideia nasceu com a leitura do artigo “Uma marca de propriedade: Os ex-libris no Museu Mariano Procópio”, dos historiadores Sérgio Augusto Vicente e Priscila da Costa Pinheiro, publicado no Jornal Aldrava Cultural, de Mariana (MG). A partir da leitura, ela procurou Sérgio, que, como Priscila, integra a equipe do museu, e conheceu o acervo de ex-libris mantidos no equipamento cultural. O passo seguinte foi preparar material fotográfico para divulgação da coleção entre os estudantes de Santos Dumont.


“Depois de estudarem as aldravias e os ex-libris, alunos do 7º ano, com idades entre 11 e 13 anos, foram incentivados a produzir seus próprios Ex-AldraviLIBRIS, ampliando seus repertórios literário, linguístico e artístico,” explica Joseani. A sequência didática aplicada teve origem na pesquisa que ela desenvolveu em seu projeto de conclusão de curso no Instituto Federal (IF) - Sudeste de Minas Gerais - Campus Santos Dumont, onde obteve o título de Especialista em Educação, na área de Práticas Pedagógicas na Educação Contemporânea.


A educadora conta que o Ex-AldraviLIBRIS foi estudado, pensado e posteriormente criado pela artista plástica e escritora Andreia Donadon e pela Doutora Ana Cristina Martins, da Universidade de Évora (Portugal).


Ex-libris


O historiador Sérgio Vicente explica que a ilustração de um ex-libri apresenta informações do proprietário do livro no qual é fixado, como gostos e hábitos. Segundo ele, essas marcas iconográficas nunca deixaram de existir, embora tenham entrado em desuso e sejam pouco conhecidos do público amplo. “Hoje há um movimento muito forte de valorização e divulgação dos ex-libris. No acervo do Mariano Procópio, existem 13 exemplares do gênero, que foram descritos em um catálogo, com análise dos desenhos e seus significados, além de informações biográficas sobre os proprietários.”


Confira exemplares de Ex-libris da coleção do Museu Mariano Procópio e dos Ex-AldraviLIBRIS criados por estudantes de Santos Dumont no Instagram @museumarianoprocopio. O artigo que inspirou o projeto pode ser lido na íntegra no link.


Quer conhecer mais sobre o projeto literário Ex-AldraviLIBRIS?

Então confira a live na Caçadora de Exlibris AQUI!


Fonte: Assessoria de comunicação da Funalfa/PJF/ Portal de Notícias Juiz de Fora



59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo