• exlibrisbrasil2020

Inspirações e o processo criativo: ex-líbris comemorativo a Alberto Lima

Por Eliana Ribeiro Ambrosio*


Para o ex-líbris em Homenagem a Alberto Lima, resolvi fazer uma citação a um momento no qual o ex-librista realiza um trabalho comemorativo. Para tanto, tomei como inspiração o disco (Figura 1) comemorativo do 80º aniversário da fundação do bairro de Ramos (1886-1966), realizado para a Sociedade dos Amigos de Ramos (S.A.R.), cuja música em homenagem ao bairro, o Hino de Ramos, foi feita pelo músico Alfredo Viana Filho, conhecido como Pixinguinha e a letra (Figura 2) escrita por Alberto Lima. Como o artista também que era membro da S.A.R., ele realizou o Brasão de Armas de Ramos e o emblema comemorativo dessa celebração do octogésimo aniversário do bairro, o qual aparece estampado na capa do disco (Figura 3). Todas estas informações encontram-se no encarte que acompanha o disco (Figura 4).










Figura 1 – Disco compacto de 33RPM com o Hino de Ramos, autoria de Pixinguinha e do professor Alberto Lima, produzido pela Cia. Industrial de Disco.



Figura 2 – Letra do Hino de Ramos escrita por Alberto Lima.

Figura 3 – Capa do disco com o emblema comemorativo realizado por Alberto Lima para Sociedade Amigo de Ramos em comemoração ao octogésimo aniversário do bairro.

Figura 4 – Encarte explicativo que acompanha o disco comemorativo ao 80º aniversário do bairro de Ramos (1886-1966), realizado para Sociedade dos Amigos de Ramos (S.A.R.).


A partir dessas referências, busquei fotos antigas da Praia de Ramos (Figura 5 ) para compor a silhueta da paisagem que aparece em meu ex-líbris. Baseado na capa do disco, inclui na imagem os ramos, a andorinha, um dos símbolos do Rio de Janeiro, com seu ninho sobre um manuscrito com a letra do Hino de Ramos, o qual repousa sobre a água, que faz alusão tanto a antiga praia das fotos da década de 50 e 60, com seus coqueiros, quanto uma menção as águas do atual Piscinão de Ramos (figura 6); uma liberdade poética para unir o passado e o presente do bairro, nesta homenagem póstuma.








Figura 5 – Referência da Praia de Ramos no ano de 1963, para compor o imaginário da silhueta da paisagem ao fundo.








Figura 6 – Referência ao Piscinão de Ramos e os coqueiros na paisagem. Uma liberdade poética.


No que se refere a técnica de fatura do ex-líbris, optei por trabalhar os detalhes da imagem utilizando o buril em uma madeira de topo de Guatambu (Figura 7 e 8).

Figura 7 – Matriz de topo de Guatambu com o corte iniciado e as ferramentas de buril ao lado. Foto: Eliana Ambrosio.


Figura 8 – Detalhe do corte da matriz com o buril. Foto: Eliana Ambrosio.









Figura 9 – Detalhe da matriz ao final da gravação da madeira. Foto: Eliana Ambrosio.


Esta técnica favorece a gravação de uma imagem com maior controle e requinte de traços, textura e pormenores (Figura 9). Para dar maior profundidade, inseri duas nuances tonais com variações de cinza, usando matrizes de linóleo (Figura 10).








Figura 10 – Matrizes em linóleo para dar as nuances tonais da gravura. Foto: Eliana Ambrosio.


Primeiramente, imprimi uma matriz com um tom de cinza claro (Figura 11). Após a secagem desta primeira camada, realizei a impressão da segunda matriz em linóleo com um tom cinza chumbo (Figura 12). Por último, a matriz com a madeira de topo foi entintada com preto (Figura 13) e a imagem impressa final do ex-libris (Figura 14) ressalta estes contrates tonais entre as três impressões que ampliam a espacialidade da gravura.

Figura 11 – Primeira matriz em linóleo entintada e impressa com um tom de cinza claro. Foto: Eliana Ambrosio.

Figura 12 – Segunda matriz em linóleo entintada com um tom de cinza mais escuro e o resultado da impressão com a sobreposição dos dois tons de cinza. Foto: Eliana Ambrosio.

Figura 13 – Entintagem da matriz de topo. Foto: Eliana Ambrosio.


Figura 16 – Resultado da impressão final do ex-líbris após a última cada com tinta preta na matriz de topo. Foto: Eliana Ambrosio.


Confira a artista falando sobre o seu processo de criação para esse ex-líbris.




*Eliana Ribeiro Ambrosio - Artista gravadora, realiza trabalhos principalmente em xilogravura e gravura em metal. Possui Especialização em Conservação e Restauro pelo CECOR/UFMG, além de Mestrado e Doutorado em História da Arte pela Universidade Estadual de Campinas. É professora Associada de xilogravura do Departamento de Artes Plásticas da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais, do qual foi coordenadora do Curso de Artes Visuais de 2012 a 2016.

61 visualizações0 comentário