• exlibrisbrasil2020

Manoel Esteves e seu ex-líbris

Atualizado: 4 de set.

Por Mary Komatsu*


Um dos autores mais consagrados no ex-librismo brasileiro, é Manoel Esteves. Nascido na cidade de Grão Mogol em Minas Gerais, provavelmente no século 20. Fez parte da Diretoria da Sociedade de Amadores Brasileiros de Ex-líbris (SABEL), tendo sido também Diretor de Permutas do Clube Internacional de Ex-líbris.


Manoel Esteves é autor do primeiro livro que trata sobre os ex-líbris no Brasil. Tendo a primeira edição em 1954 e a reedição em 1956. A edição encontra-se esgotada, sendo referência e um clássico para os estudiosos sobre o assunto.


As duas edições foram amplamente divulgadas nos jornais como o Correio da Manhã.


Fonte: Correio da Manhã. 20 de julho 1954.

Fonte: Correio da Manhã. 24 de abril 1956.

Na segunda edição, o jornalista e poeta Astério de Campos descreveu a sua impressão sobre o livro:


“O livro de Manuel Esteves, um autêntico beneditino das letras internacionais, apareceu em ótimo papel acetinado, nitidamente impresso, rico de informes curiosos e de ilustrações sugestivas. Trás, no pórtico, o Ex líbris do autor, simbolizando numa visão panorâmica da cidade, no plano superior; num ameno recanto, um aspecto urbano, e, no plano inferior, um livro aberto, com um fascinante prisma....Livro admirável, discretamente erudito e anedótico, analítico, filológico, bem pensado, bem escrito, bem instrutivo e delicioso!” (Astério de Campos).


Livro "O Ex libris" de Manuel Esteves, 1956.


Ex-líbris de Manuel Esteves impresso no livro.

Outras publicações de sua autoria foram “Caminhos da Europa”, 1957 e “Grão Mogol”, 1961.


A sua devoção pela cidade natal também é representado em seu 02 ex-líbris pessoal.


Ex-libris de Manoel Esteves Artista: Ludwig Valenta Xilogravura 1945 Col. Seção de Obras Raras da Biblioteca Central da UnB.

Segundo Bertinazzo, é uma xilogravura sobre uma velha fotografia. Remete a cidade onde nasceu Manuel Esteves, aparece o Largo da Igreja da antiga cidade mineira de Grão Mogol, que outrora foi famosa por seus diamantes, e sobretudo, por ter sido berço do Intendente Camara.


Ex-líbris de Manuel Esteves Desenho W. Kiel.

Este ex-líbris foi confeccionado para marcar o livro “Ex-libris” de sua autoria. Ele vem impresso nas primeiras páginas. Contém a mesma referência do outro ex-líbris com a imagem da cidade de Grão Mogol. No centro do ex-líbris possui a imagem da Igreja Matriz de Santo Antônio, erguida na segunda metade do século XIX, em estilo colonial, tendo um significado histórico por ter sido construída pelos escravos. No primeiro plano, um livro aberto e sobre ele um diamante (os garimpeiros descobriram diamantes na região).



Igreja Matriz de Santo Antônio em Grão Mogol, MG.

Podemos observar no canto esquerdo inferior, um detalhe de uma rua onde aparece os casarios da região.


Notamos que nos 02 ex-líbris há uma diferença na grafia do seu nome. No primeiro o seu nome está grafado “Manoel” e no segundo “Manuel”.


Manoel Esteves foi uma grande personalidade na região que tem uma biblioteca em sua homenagem, a Biblioteca Pública Municipal Manoel Esteves. Essa biblioteca foi tombada pela Prefeitura Municipal de Grão Mogol, MG.

.


REFERÊNCIAS


BERTINAZZO, Stella Maris de Figueiredo. Ex libris: pequeno objeto do desejo. Colab. De Sara Seilert, Simone de Oliveira Matos, Rosangela Roosevelt. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.


BEZERRA, José Augusto. Ex-Líbris: A marca de propriedade do livro. In: Revista do Instituto do Ceará, tomo CXX, n. 120, 2006. p. 129-144.


DIÁRIO do Sertão – Dia 7 – Grão Mogol – A cidade de Pedra. Universidade Livre do Altivo. [S.l.], 2019. Disponível em: https://universidadelivredoalvito.xyz/6223-2/


ESTEVES, Manuel. O Ex-libris. Rio de Janeiro,Laemmert, 1956.


GRÃO Mogol – Biblioteca Pública Municipal Manoel Esteves. iPatrimonio: Patrimônio Cultural Brasileiro. [s.l.], [s.d]. Disponível em: http://www.ipatrimonio.org/grao-mogol-biblioteca-publica-municipal-manoel-esteves/


MIRANDA, Camila Santos. Ex libris: uma perspectiva histórica e contemporânea. Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Departamento de Ciência da Informação e Documentação da Universidade de Brasília para obtenção do grau de Bacharel em Biblioteconomia. Brasília: UnB, 2009. 92 f.


REIFSCHNEIDER, Oto Dias Becker. A bibliofilia no Brasil. Brasília: UnB, 2011. 303 f., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação).


LEMOS, Antonio Agenor Briquet de. Ex-libris librorum. [Rio de Janeiro: s.n.], 2022. 1 vídeo (1h49min.). Publicado pelo canal Caçadora de Ex-Libris. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HxgAyLt3otM&t=4086s. Acesso em: 10 maio. 2022.


*Mary Komatsu - Bibliotecária e administradora do canal Caçadora de Ex-líbris.


95 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo